4 Formas de ganhar da concorrência

Vamos supor que você ou sua empresa desenvolveu um produto, acharam a solução perfeita e estão prontos para transformar em um negócio de ouro e estão convencidos de que o produto vai render e se diferenciar da concorrência.

Então, ter a convicção de que o produto ou serviço vai suprir as necessidades do mercado, todo mundo tem. Porém o grande pepino em relação a concorrência é a seguinte:

Se a concorrência ou as empresas que atuam indiretamente na sua área já tem construído os hábitos dos consumidores ou usuários, você terá que mandar seu time reavaliar o produto ou serviço para entenderem melhor os os novos hábitos. 

A verdade é que não são os produtos perfeitos que conquistam os usuários, mas sim os que se encaixam nos hábitos do consumidor. Trabalhar com estratégia e abordagem correta, podem permitir que o produto perfeito chegue ao topo de seu mercado diante da concorrência.  

Observando algumas plataformas do nosso redor diariamente podemos identificar que passamos pelo menos 30 minutos no Facebook, Twitter ou Instagram. Assistimos Netflix no mínimo uma vez por semana, alguns jogam jogos aditivos sem parar, mas não sabem o porque.  Isso mostra o quanto as empresas que dominam o mercado têm investido tempo, energia e dinheiro na construção dos hábitos, o que acaba monopolizando o mercado por si.

A entrada de um produto novo no mercado, precisa de uma estruturação de novos hábitos para que os usuários possam realmente mudar seus interesses e migrar para o novo produto.  

Abaixo nós temos 4 passos que vão permitir com que seu produto ou serviço ganhe dos concorrentes, propondo aos usuários hábitos construídos por si. 

1. Entenda as pessoas e a concorrência

O cérebro do ser humano gosta de ser estimulado, por isso o melhor é oferecer experiência para satisfazer os usuários. Quando é interessante, mais eles querem. Contudo, muitos produtos criam novos hábitos. E o motivo? É porque sabem que gostamos da experiência e que queremos refazer várias vezes a mesma coisa.  

Por exemplo, o Snapchat se tornou uma grande companhia utilizada por milhões de usuários por dia. Inclusive, o próprio Facebook até tentou comprar a companhia por medo da concorrência e por perder uma fatia de seus usuários.

Observando a situação, podemos nos perguntar porque os usuários preferem abrir Snaptchat em vez de Facebook? O reflexo da mudança de hábito fez com que o APP criou em permitir a seus usuários criarem conteúdos que podem desaparecer depois um tempo. Ao contrário do Facebook que deixava seus conteúdos online para sempre.  

Esta é uma forma de explorar a experiência pois as pessoas literalmente se tornam fã do hábito de mandar coisas. Principalmente as confidenciais, pois sabem que não vão correr o risco deste conteúdo ficar na internet e acabar vazando. 

2. Explore a experiência

O cérebro do ser humano gosta de ser estimulado. Por isso não há nada melhor que oferecer experiência para satisfazer os usuários. Quando é interessante, mais eles querem. Contudo, muitos produtos criam novos hábitos. E o motivo? É porque sabem que gostamos da experiência e que queremos refazer várias vezes a mesma coisa.  Por isso é importante acompanhar o que a concorrência está fazendo, e não apenas copia-la.

Por exemplo, o Snapchat se tornou uma grande companhia utilizada por milhões de usuários por dia. Inclusive, o próprio Facebook até tentou comprar a companhia por medo de perder uma fatia de seus usuários para eles. Observando a situação, podemos nos perguntar porque os usuários preferem abrir Snaptchat em vez de Facebook? O reflexo da mudança de hábito fez com que o APP criou em permitir a seus usuários criarem conteúdos que podem desaparecer depois um tempo. Ao contrário do Facebook que deixava seus conteúdos online para sempre.  

Esta é uma forma de explorar a experiência pois as pessoas literalmente se tornam fã do hábito de mandar coisas. Principamente as confidenciais, pois sabem que não vão correr o risco deste conteúdo ficar na internet e acabar vazando.  

3. Foca na frequência

Alguns estudos da Universidade de Howard em Washington comprovam que as atividades executadas com mais frequência podem influenciar novos hábitos, já as executadas em curto tempo, com mais facilidade de esquecimento. Considerado como um fator favorável, as grandes empresas aproveitam e criam conteúdos e atualizações para que seus usuários voltem sempre a usar seus produtos.  

Todo ano surge uma nova forma de engajar usuários ou clientes. Entre as adaptações das empresas, a mudança de hábito permite novas oportunidades. Quando a Amazon começou vendendo livros online em 1990, ela transformou a frequência de compra online em hábito. E hoje se transformou na maior plataforma de venda online que já existiu. Ela já não vende apenas livros, ela vende de tudo hoje, mostrando o seu diferencial na concorrência.

4. Entrada fácil

Os produtos de grande sucesso são os mais simples em termo de usabilidade. As pessoas se apegam quando é fácil de aproveitar um produto. As grandes empresas hoje trabalham firme para que a usabilidade de seus produtos sejam os mais simples possível.  A facilidade de acesso aumenta a frequência de uso e a frequência acaba criando hábitos nos usuários. Os produtos simples quebram barreiras, evitam processos e ganham da concorrência.

Uma empresa que está sofrendo hoje dos produtos de fácil de acesso é a Microsoft Office. Ele ainda domina o mundo dos softwares de edição de texto por exemplo. No entanto, está sendo atacado por rivais como Google e Apple que desenvolveram softwares parecidos.

As duas marcas aproveitaram a lei da simplicidade para oferecer esses produtos de forma gratuita, em que o objetivo foi para feito para facilitar o caminho dos usuários de Microsoft. Entretanto, os usuários sentiam uma barreira em ter que baixar os softwares da Microsoft e depois se envolver em longas instalações para poder utilizar.

O mundo não para de evoluir e os hábitos do mercado também. As empresas que entenderam a importância dos 4 passos para se diferenciar entre os concorrentes, já estão trabalhando de forma árdua para aumentar o número de clientes.

Em vista disso, há empresas estão um passo à frente do mercado atual, oferecendo serviços fáceis de acesso e estudando a fundo o comportamento do consumidor. O objetivo é poder estabelecer experiências que ajudarão na construção de novos hábitos.

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Leia tambem…

Naming: tudo de criação de nome!

Naming: tudo de criação de nome!

A mensagem é clara: o poder do ser humano em personalizar as coisas pode ser visto como algo comum, mas no mundo das marcas, é um bem necessário caso você queira atingir o sucesso, por isso o naming exige criatividade, estudo e muita estratégia! Naming, você sabe o...

read more
Design Thinking

Design Thinking

O conceito de "Design Thinking" apesar de pelo nome, parecer exclusivamente ligado ao marketing, é muito mais do que isso. Trata-se de uma forma de abordagem baseada no processo utilizado no campo do design. O Design Thinking pode ser ampliacada para resolução de...

read more
Desburocratização pelo Digital

Desburocratização pelo Digital

Primeiramente, a desburocratização dos processos faz parte dos pontos de evolução na era tecnológica. A tecnologia em conjunto com as inovações está melhorando a vida do ser humano quando o assunto é processo. Antes de mais nada, a palavra processo quer literalmente...

read more

+700

Inscritos na newsletter

Tendências em Design Corporativo
Metodologias em Comunicação
Anedotas da área